Aquecimento do oceano Índico ameaça a segurança alimentar do leste e sul da África


Computação gráfica do aquecimento do oceano Índico, a partir de dados do satélite Pathfinder, com dados de 1994 até 2005. Fonte NASA

Estudo publicado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences PNAS, edição de 6/8, avalia as possíveis conseqüências do crescente aquecimento do oceano Índico, na produção de alimentos na África ao leste e ao sul. Por Henrique Cortez, do EcoDebate.

Segundo o estudo, desde 1980, o número de pessoas subalimentadas no leste e sul da África mais do que duplicou. O desenvolvimento rural estagnou e a pobreza rural aumentou ao longo da década de 1990.

As análises de dados e in situ permitiram identificar uma outra tendência ameaçadora: as precipitações têm diminuído 15%, aumentando a insegurança alimentar nos países ocidentais, ao longo da orla do Oceano Índico. Este declínio de chuvas é socialmente perigoso, em países pobres, com a agricultura muito dependente das estações chuvosas.

O estudo avalia que esta tendência persistirá e se intensificará, tendo em vista que o aquecimento, de origem antropogênica, do oceano Índico também é persistente e está aumentando. A análise sugere que o aquecimento do oceano Índico perturba o transporte de umidade, reduzindo as chuvas no continente Africano.

As atuais tendências podem resultar em um aumento de 50% nas pessoas subalimentadas até 2030. Por outro lado, modestos aumentos de produtividade agrícola adaptadas à convivência com a seca, poderiam compensar o declínio observado na precipitação. Investir no desenvolvimento agrícola pode ajudar a atenuar as alterações climáticas, diminuindo a pobreza rural e vulnerabilidade social.

A pesquisa publicada é mais uma demonstração de que as mudanças climáticas, decorrentes do aquecimento global, trarão graves conseqüências para todo o planeta, mas serão especialmente mais catastróficas para os países mais pobres e com maior risco de insegurança alimentar.

Com um aquecimento de 2°C, até o final do século, as fronteiras agrícolas do hemisfério norte se expandirão, com novas áreas agricultáveis no norte do Canadá, nas estepes siberianas ou na Escandinávia.

No pobre, feio e sujo hemisfério sul acontecerá exatamente o contrário. Mais de ¼ do planeta estará desertificado ou em rápida desertificação, condenando mais de 1,5 bilhões de pessoas à insegurança alimentar e à fome.

Será uma tragédia humanitária em escala global.

Warming of the Indian Ocean threatens eastern and southern African food security but could be mitigated by agricultural development
PNAS published August 6, 2008, doi:10.1073/pnas.0708196105
* Chris Funk,
* Michael D. Dettinger,
* Joel C. Michaelsen,
* James P. Verdin,
* Molly E. Brown,
* Mathew Barlow,
* and Andrew Hoell

* Full Text (PDF)

[EcoDebate, 08/08/2008]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: