Alemanha: Pesticidas da Bayer são acusados da morte em massa de abelhas

A ONG Coalition against BAYER Dangers apresentou denúncia contra Werner Wenning, presidente do Conselho de Administração da Bayer, ao Ministério Público, em Freiburg (sudoeste da Alemanha). O grupo Bayer é acusado da comercialização de pesticidas perigosos e, com isto, causar a morte de abelhas em todo o mundo. A Coligação apresentou a denúncia em cooperação com os apicultores alemães, que perderam milhares de colméias, após o envenenamento pelo pesticida clothianidin, em maio deste ano. Por Henrique Cortez*, do Ecodebate, com informações da Coalition against BAYER Dangers e Organic Consumers Association.

Desde 1991, a Bayer produz o inseticida imidaclopride, que é um dos mais vendidos inseticidas no mundo, muitas vezes utilizados em culturas de milho, girassol e colza. O imidaclopride, da Bayer, é exportado para mais de 120 países e é o pesticida mais vendido da Bayer. Uma vez que a proteção das patentes para imidaclopride terminou na maior parte dos países, a Bayer, em 2003, desenvolveu um novo pesticida, de ação semelhante, o Clothianidin. Ambas as substâncias podem contaminar o pólen e néctar e, portanto, atingir insetos benéficos como abelhas.

O início da comercialização do imidaclopride e do Clothianidin coincidiu com a ocorrência de mortes em larga escala de abelhas, em muitos países europeus e americanos. Na França, cerca de 90 bilhões de abelhas morreram no prazo de dez anos, reduzindo a produção de mel em até 60%.

Harro Schultze, advogado da Coalizão, afirmou: “O Ministério Público tem de esclarecer quais os esforços foram realizados para impedir a importação de imidaclopride e Clothianidin da BAYER, depois que as vendas de ambas as substâncias foram suspensas na França. Suspeitamos que a Bayer apresentou estudos imperfeitos para reduzir os riscos de resíduos de pesticidas nas plantas tratadas “.

Na França, o imidaclopride foi banido para utilização no girassol desde 1999. O Comitê Scientifique et Technique, convocado pelo governo francês, declarou que o tratamento de sementes com o imidaclopride conduz a riscos significativos para as abelhas. O pedido da Bayer para Clothianidin também foi rejeitado por autoridades francesas.

“O conselho de administração da Bayer tem que ser chamado a prestar contas, uma vez que os riscos de neonicotinóides, como imidaclopride e Clothianidin, já são conhecidos há mais de dez anos. Com um volume de negócios anual de quase 800 milhões de euros, os neonicotinóides estão entre os mais importantes produtos da Bayer . Essa é a razão pela qual a Bayer, apesar de graves danos ambientais, luta contra qualquer aplicação de proibições “, diz Philipp Mimkes, porta-voz da Coalizão. A Coalizão exige que a Bayer retire todos os neonicotinóides do mercado mundial.

A acusação de estudos indadequados é confirmada pela Canadian Pest Management Regulatory Agency (PMRA), que em pedido de registro do Clothianidin da Bayer afirmou: “Todos os estudos de campo, porém, foram considerados insuficientes na concepção e na realização dos estudos e foram, portanto, considerados apenas como informação suplementar. O Clothianidin pode constituir um risco para abelhas e outros polinizadores, se a exposição ocorrer através de pólen e néctar de plantas cultivadas a partir de sementes tratadas “. PRMA acrescenta: “É de notar também que o Clothianidin é muito persistente no solo, com alto registro de resíduos para a safra seguinte”

Em maio de 2008, autoridades alemãs culparam o clothianidin pela morte de milhões de abelhas. O Serviço Federal alemão da Defesa do Consumidor e da Segurança Alimentar, BVL (German Federal Office of Consumer Protection and Food Safety) suspendeu o registro de oito pesticidas, incluindo Clothianidin e imidaclopride, para o tratamento de sementes de milho e de colza.

O processo foi registrado pelo Ministério Público, em Freiburg (Tel: +49- (0) 761 2050) sob o número 520 arquivo UJs 1649/08

Coalition against BAYER Dangers http://www.CBGnetwork.org
CBGnetwork@aol.com Tel: (+49) 211-333 911 Fax: (+49) 211-333 940

Outras informações sobre a morte de abelhas e pesticidas podem ser encontrados em:

Agência de Proteção Ambiental dos EUA é acusada de ocultar informações da toxidade de pesticidas nas abelhas

Agrotóxico que combate praga da laranja está dizimando abelhas no interior de São Paulo

Morte de abelhas no Reino Unido ameaça a polinização de frutas e vegetais

O mistério do desaparecimento das abelhas continua

· The Guardian: Germany bans chemicals linked to bee devastation
· Sierra Club urges EPA to suspend nicotinyl insecticides.
Press Release of the Research Centre for Cultivated Plants (German)
· Bee-keepers and environmental groups demand prohibition of pesticide “Gaucho” · French Institutes Finds Imidaproclid Turning Up in Wide Range of Crops · 2003 report from the “Comité Scientifique et Technique de l’Etude Multifactorielle des Troubles des Abeilles”

[Ecodebate, 29/08/2008]

2 Responses to Alemanha: Pesticidas da Bayer são acusados da morte em massa de abelhas

  1. Pingback: Portal EcoDebate » Blog Archive » Alemanha: Pesticidas da Bayer são acusados da morte em massa de abelhas

  2. Pingback: Pesticidas da Bayer são acusados da morte em massa de abelhas « Seja Green [ Insight's Sustentáveis ]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: