O discurso do marketing verde: Itaú seleciona ONGs com projetos de compensação de carbono, por Henrique Cortez


De acordo com o release, o “Itaú lançou o Programa Ecomudança, que tem como objetivo fomentar projetos de redução de emissão de gases de efeito estufa, desenvolvidos por organizações sem fins lucrativos. Para isso, o Programa Ecomudança 2008 repassará, por meio de apoio financeiro, R$ 182.586,63 para até cinco projetos com foco em eficiência energética, energia renovável ou manejo de resíduos, valor correspondente a 30% da taxa de administração dos fundos Itaú DI Ecomudança e Itaú RF Ecomudança, apurada entre 31 de agosto de 2007 e 1º de setembro de 2008. As inscrições para o Programa, gratuitas, estão abertas no período de 15 de setembro a 31 de outubro de 2008, por meio do site.”

Parece uma iniciativa importante e necessária, mas, de forma prática, é apenas marketing verde, o conhecido greenwashing.

Leia mais deste post

Anúncios

Espanha: Acidente paralisa a central nuclear Ascó I


Um vazamento de óleo na central nuclear Ascó I, (Tarragona) paralisou ontem (24/09) a central, que permanecerá inativa por tempo indeterminado. O vazamento ocorreu na tubulação de óleo que controla uma válvula da turbina, reduzindo a pressão no óleo, razão para a paralisação da turbina e, por conseqüência, do reator. Por Henrique Cortez, do Ecodebate, com informações de Agências.

Leia mais deste post

Exposição de ratas grávidas ao fungicida vinclozolin provocou inflamação na próstata dos filhos quando adultos

Este é o primeiro estudo ligando diretamente um contaminante ambiental, bloqueador androgênico, com inflamação da próstata e fornece novas informações sobre as origens da doença humana. Os padrões observados na inflamação em ratos lembram padrões da doença também observados nos seres humanos. Por Henrique Cortez, do EcoDebate.

Leia mais deste post

A neocolônia Brasil importa a indústria de celulose que a Europa não quer mais, por Henrique Cortez

[EcoDebate]

Matéria de Marianna Aragão, do O Estado de S.Paulo, de 20/09/2008 [Indústria de celulose fecha as portas na Europa e abre no Brasil], informa que, enquanto a Europa reduz a produção para cortar custos, o Brasil saltará do 6.º para o 3.º lugar do ranking mundial. Mais uma vez, o modelo de desenvolvimento neocolonial nos fará importar as indústrias que os “desenvolvidos” não querem mais.

Leia mais deste post

Itália proibe agrotóxicos neonicotinóides associados à morte de abelhas


Os neonicotinóides já estão proibidos em quatro países europeus.

O “Ministero del Lavoro della Salute e delle Politiche Sociali” determinou a imediata suspensão da aplicação de diversos neonicotinóides no tratamento de sementes. Foram suspensos os produtos clothianidin, imidacloprid, fipronil ethiamethoxam. Em paralelo à proibição, o governo italiano iniciou um programa de avaliação e monitoramento das causas do recente colapso de colônias, matando milhões de abelhas. Por Henrique Cortez*, do EcoDebate.

Leia mais deste post

Chile, em uma década, aumentou seu cultivo orgânico em 18 vezes


O mercado internacional de produtos orgânicos está estimado em US$ 60 bilhões, incluídos os produtos frescos ou processados. De “olho” neste grande mercado internacional o Chile, em uma década, aumentou seu cultivo orgânico em 18 vezes, visando atingir, em exportações, um valor estimado em US$ 100 bilhões em 2010. Por Henrique Cortez*, do EcoDebate.

Para incentivar a produção de culturas orgânicas, o Instituto de Desenvolvimento Agrícola (Instituto de Desarrollo Agropecuario INDAP) e da Associação de Agricultura Orgânica do Chile (Agrupación de Agricultura Orgánica de Chile AAOCH) assinaram um acordo de cooperação técnica, que visa incorporar mais intensamente os pequenos produtores agrícolas, neste tipo de produção.

Leia mais deste post

Pesquisador afirma que não existem níveis seguros de exposição ao Bisfenol A (BPA)

Frederick vom Saal, pesquisador da Divisão de Ciências Biológicas, da University of Missouri-Columbia, ao avaliar que o Canadá estuda proibir a utilização do BPA em produtos infantis, afirma que isto é um grande passo, mas não é o suficiente, porque o seu uso deve ser proibido integralmente. Por Henrique Cortez, do EcoDebate.

Leia mais deste post