Sistemas de cultivo orgânico podem ser tão rentáveis como os sistemas convencionais?

Cultura orgânica, em foto de arquivo
Cultura orgânica, em foto de arquivo

Os resultados mostram que muitas culturas orgânicas são mais rentáveis do que os sistemas de monocultivo

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Qual é a melhor estratégia, especializando-se em uma cultura ou culturas diversificadas? Cultivo convencional é mais rentável do que a agricultura biológica? É menos arriscado?

São questões permanentes na agricultura e, no Brasil em especial, elas são extremamente importantes, considerando que, desde o período colonial, mantemos a tendência de optar por cultivo de monocultura intensiva em vastas áreas. Com ligeiras adaptações, o modelo coronelista da monocultura em latifúndio ainda permanece.

Para responder a estas questões, pesquisadores da Universidade de Wisconsin, College of Agriculture and Life Sciences e do Michael Fields Agricultural Institute, Wisconsin Integrated Cropping Systems Trial (WICST), testaram as diversas combinações de cultivo, na tentativa de identificar a sua rentabilidade.

No caso da pecuária, os pesquisadores, avaliando dados em dois locais no sul do Wisconsin, entre 1993-2006, confirmaram que a criação orgânica em pastagens é mais rentável do que a criação confinada, alimentada à base de ração e forragens.

No caso brasileiro, nossa pecuária, majoritariamente, adota o modelo extensivo em pasto. A pecuária é o maior e mais importante fator de devastação na Amazônia, sendo que, em 2007, 35% do rebanho bovino nacional estava na Amazônia Legal.

O estudo também demonstrou que a produção orgânica e diversificada também é mais rentável do que a tradicional. Mesmo que a produção nominal seja menor, a produção orgânica e diversificada possui mais valor, oferece maior receita líquida e reduz os riscos associados às monoculturas.

Os pesquisadores, avaliando informações do cinturão agrícola dos EUA, o meio-oeste, determinaram que os sistemas orgânicos são mais rentáveis do que os padrões intensivos das monoculturas de milho e soja, além da alfafa, destinada à alimentação animal.

Este estudo indica que a política pública que apóia as monoculturas está obsoleta e deve ser transferida para apoiar programas que promovem as rotações de culturas e as práticas da agricultura biológica.

Se isto é verdade nos EUA podemos concluir que ela é especialmente verdade no Brasil.

Como afirmei anteriormente, nossas políticas públicas, desde o período colonial, são focadas no incentivo às monoculturas, especialmente de exportação.

No entanto, mais de 60% de nossa alimentação cotidiana é produzida pela pequena agricultura, pela agricultura familiar e pelos assentamentos da reforma agrária que, no entanto, recebem 1/3 dos recursos públicos destinados às monoculturas.

A clara compreensão das diferenças entre produção x produtividade e receita bruta x receita líquida são fundamentais para uma avaliação correta das vantagens da agricultura orgânica e/ou da produção agroecológica. Sem esta compreensão os ‘números’ podem ser enganadores, como demonstra o crescente endividamento dos produtores de monoculturas.

O artigo “Organic and Conventional Production Systems in the Wisconsin Integrated Cropping Systems Trial: II. Economic and Risk Analysis 1993–2006”, publicado na edição online do Agronomy Journal, da American Society of Agronomy (ASA) está disponível para acesso integral no formato HTML. Para acessar o artigo clique aqui.

Para maiores informações transcrevemos, abaixo, o abstract:

Organic and Conventional Production Systems in the Wisconsin Integrated Cropping Systems Trial: II. Economic and Risk Analysis 1993–2006
Jean-Paul Chavasa, Joshua L. Posnerb,* and Janet L. Hedtckeb
a Agriculture & Applied Economics Dep
b Agronomy Dep., University of Wisconsin, Madison
* Corresponding author (jlposner{at}wisc.edu).

Published in Agron J 101:288-295 (2009)
DOI: 10.2134/agronj2008.0055x

ABSTRACT
This article, the second in a series looking at the Wisconsin Integrated Cropping Systems Trial (WICST), reports on the profitability of six conventional and organic systems, with a focus on net returns and associated risk exposure. Several pricing scenarios were compared to evaluate the impact of government programs and organic price premiums. When net return estimates are made using only neighboring elevator prices (no government programs or organic price premiums), we found that the no-till corn-soybean system [Zea mays L. and Glycine max (L.) Merr.] was the most profitable grain system, and management intensive rotational grazing (MIRG) the most profitable forage system. When government programs and organic price premiums are included, returns increased by 85 to 110% for the organic grain system (corn-soybean-wheat + red clover (Triticum aestivum L. + Trifolium pratense L.) and 35 to 40% for the organic forage system [companion seeded alfalfa with oat + field pea (Medicago sativa L., Avena sativa L., and Pisum sativum L.), hay, and then corn]. This places both organic systems with higher returns than any of the Midwestern standards of no-till corn-soybean, continuous corn, or intensive alfalfa production. Also, the results indicate how risk exposure varied across systems. Interestingly, taking risk into consideration did not drastically affect the ranking among those systems. Our analysis shows that, under the market scenarios that prevailed between 1993 and 2006, intensive rotational grazing and organic grain and forage systems were the most profitable systems on highly productive land in southern Wisconsin.

[EcoDebate, 13/04/2009, com informações de Sara Uttech, American Society of Agronomy]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

One Response to Sistemas de cultivo orgânico podem ser tão rentáveis como os sistemas convencionais?

  1. Pingback: Sistemas de cultivo orgânico podem ser tão rentáveis como os sistemas convencionais? | Portal EcoDebate

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: