Excesso de nutrientes ameaça os manguezais

hipoxia

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Uma nova pesquisa verificou o aumento de nutrientes tranportados pelos sistemas fluviais exercem presáo sobre os manguezais, tornando-os muito mais suscetíveis à variabilidade ambiental e as mudanças climáticas. A nova pesquisa, intitulada “Nutrient enrichment increases mortality of mangroves“, foi publicada na revista internacional PLoS ONE.

De acordo com os pesquisadores, embora este aumento de nutrientes disponíveis inicialmente favoreça o crescimento do manguezal, ele também induz um aumento no crescimento dos brotos relação às raízes e esse é o tipo errado de crescimento, porque esta maior proporção de brotos em relação às raízes faz com que os manguezais fiquem muito mais sensíveis à alta salinidade e seca.

A vegetação dos manguezais precisa ter tantas raízes quanto possível, para que elas possam fornecer água para sua sobrevivência, porém o excesso de nutrientes causa exatamente o oposto.

Os resultados mostram que os manguezais expostos a altas taxas de disponibilidade de nutrientes sofrem maior mortalidade durante a seca, sendo que a mortalidade é maior em locais sujeitos a períodos de baixa pluviosidade, baixa umidade e alta salinidade.

O crescente fluxo de nutrientes é uma das maiores ameaças aos ecossistemas costeiros, proporcionando aumento da mortalidade dos mangues, grande proliferação de algas, degradação de recifes de corais, além da perda da biodiversidade e dos ecossistemas de resistência.

O estudo reafirma as conclusões de um recente relatório da ONU [UNEP Large Marine Ecosystem Report: a Perspective on Changing Conditions in LMEs of the World’s Regional Seas]. Dentre suas conclusões, este relatório afirma que um volume sem precedentes de nitrogênio está sendo ‘carregado’ para as águas costeiras, aumentando as ocorrências de algas tóxicas e a redução do oxigênio dissolvido na água (hipoxia), o que também é uma grave ameaça à sobrevivência das especies marinhas.

O estudo “Nutrient enrichment increases mortality of mangroves“, publicado na PLoS ONE, está disponível para acesso integral no formato. HTML. Para acessar o relatório clique aqui.

Para maiores informações trancrevemos, abaixo, o abstract:

Nutrient Enrichment Increases Mortality of Mangroves
Catherine E. Lovelock1*, Marilyn C. Ball2, Katherine C. Martin2, Ilka C. Feller3

1 Centre for Marine Studies and School of Biological Science, University of Queensland, St Lucia, Queensland, Australia, 2 Functional Ecology Group, Research School of Biological Sciences, Australian National University, Canberra, Australian Capital Territory, Australia, 3 Smithsonian Environmental Research Center, Edgewater, Maryland, United States of America

Abstract
Nutrient enrichment of the coastal zone places intense pressure on marine communities. Previous studies have shown that growth of intertidal mangrove forests is accelerated with enhanced nutrient availability. However, nutrient enrichment favours growth of shoots relative to roots, thus enhancing growth rates but increasing vulnerability to environmental stresses that adversely affect plant water relations. Two such stresses are high salinity and low humidity, both of which require greater investment in roots to meet the demands for water by the shoots. Here we present data from a global network of sites that documents enhanced mortality of mangroves with experimental nutrient enrichment at sites where high sediment salinity was coincident with low rainfall and low humidity. Thus the benefits of increased mangrove growth in response to coastal eutrophication is offset by the costs of decreased resilience due to mortality during drought, with mortality increasing with soil water salinity along climatic gradients.

Citation: Lovelock CE, Ball MC, Martin KC, C. Feller I (2009) Nutrient Enrichment Increases Mortality of Mangroves. PLoS ONE 4(5): e5600. doi:10.1371/journal.pone.0005600

Editor: Ross Thompson, Monash University, Australia

Received: March 1, 2009; Accepted: April 9, 2009; Published: May 19, 2009

Copyright: © 2009 Lovelock et al. This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original author and source are credited.

Funding: Funding for this work was provided by NSF Biocomplexity award (DEB-9981535; http://www.nsf.gov/), AAAS WISC award (http://www.aaas.org/programs/internation?al/wist/ ), Smithsonian Marine Science Network (http://www.si.edu/marinescience/) and the Australian Research Council awards (LP0561498 and DP0774491; http://www.arc.gov.au/). The funders had no role in study design, data collection and analysis, decision to publish, or preparation of the manuscript.

Competing interests: The authors have declared that no competing interests exist.

* E-mail: c.lovelock{at}uq.edu.au

[t]

[EcoDebate, 25/05/2009]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: