Degelo da Groelândia é o maior contribuinte para a subida do nível do mar

Derretimento uma geleira na Groelândia atinge o oceano. Foto por Sebastian Mernild
Derretimento uma geleira na Groelândia atinge o oceano. Foto por Sebastian Mernild

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] O manto de gelo da Groelândia está se derretendo mais rápido do que o esperado, segundo um novo estudo [Greenland Ice Sheet surface mass-balance modelling and freshwater flux for 2007, and in a 1995-2007 perspective] conduzido por um pesquisador da Universidade do Alasca Fairbanks e publicado na edição online da revista Hydrological Processes.

Os resultados do estudo indicam que o derretimento do manto de gelo da Groelândia pode ser responsável por quase 25 por cento de aumento global do mar nos últimos 13 anos. O estudo também mostra que mares já estão subindo, em média, mais de 3 milímetros por ano, mais de 50% mais rápido do que a média no século 20.

O pesquisador Sebastian Mernild H. e colegas dos Estados Unidos, Reino Unido e Dinamarca descobriram que, de 1995 a 2007, a precipitação global sobre a capa de gelo diminuiu, enquanto a superfície foi reduzida, pela combinação de evaporação, fusão e ruptura do do manto de gelo. Segundo Mernild, desde 1995, a massa de gelo perdeu uma média de 265 km cúbicos por ano, o que contribuiu para cerca de 0,7 milímetros por ano, em termos e elevação do nível global do mar. Estes números não incluem a expansão térmica, a expansão do volume do gelo em resposta ao calor, pelo que a contribuição poderá ser até o dobro.

O manto de gelo da Groelândia tem sido de grande interesse para os pesquisadores ao longo dos últimos anos, como um dos principais indicadores das mudanças climáticas.

O derretimento do gelo, a partir de um aquecimento do Ártico, tem dois efeitos importantes sobre o oceano. Primeiro, o aumento da água contribui para o aumento global do nível do mar, que por sua vez afeta zonas costeiras em todo o globo. Em segundo lugar, a água doce, do derretimento do gelo, causa alterações de salinidade nos oceanos do mundo, o que pode afetar os ecossistemas oceânicos.

“O aumento do nível do mar será um problema no futuro para as pessoas que vivem nas regiões costeiras em todo o mundo”, diz Mernild. “Mesmo uma pequena subida do nível do mar pode ser um problema para essas comunidades. É nossa esperança que esta investigação ajude a fornecer informações precisas às pessoas responsáveis pelo planejamento da proteção das pessoas e comunidades.”

O artigo “Greenland Ice Sheet surface mass-balance modelling and freshwater flux for 2007, and in a 1995-2007 perspective“, publicado na Hydrological Processes, apenas está disponível para assinantes.

Para maiores informações, transcrevemos, abaixo o abstract:

Greenland Ice Sheet surface mass-balance modelling and freshwater flux for 2007, and in a 1995-2007 perspective
Sebastian H. Mernild, Glen E. Liston, Christopher A. Hiemstra, Konrad Steffen, Edward Hanna, Jens H. Christensen
Published Online: Jun 11 2009 2:51AM. DOI: 10.1002/hyp.7354

The freshwater flux from the Greenland Ice Sheet (GrIS) to the ocean is of considerable importance to the global eustatic sea level rise. A physical modelling approach using SnowModel, a state-of-the-art snow-evolution modelling system that includes four submodels (MicroMet, EnBal, SnowPack, and SnowTran-3D), was used to quantify the 1995-2007 GrIS surface mass-balance (SMB), including freshwater flux. Meteorological observations from 26 meteorological stations located on the GrIS (Greenland Climate Network; GC-Net stations) and in coastal Greenland (Danish Meteorological Institute (DMI) WMO-stations) were used as model inputs. The GrIS minimum surface melt extent of 29% occurred in 1996, while the greatest extent of 51% was present in 2007. The 2007 melt extent was 20% greater than the average for 1995-2006. The year 2007 had the highest GrIS surface runoff (523 km3 y-1) and the lowest SMB (-3 km3 y-1); the only year with a negative GrIS SMB. Runoff in 2007 was approximately 35% greater than average for 1995-2006. From 1995 through 2007 overall, precipitation decreased while ablation increased, leading to an increased average SMB loss of 127 km3. The modelled GrIS SMB was merged with previous estimates of GrIS subglacial runoff (from geothermal melt) and GrIS calving to quantify GrIS freshwater flux to the ocean, indicating an average negative mass-balance of 265 ( ±83) km3 y-1. This study further suggests an average GrIS freshwater flux of approximately 786 km3 y-1 to the ocean, of which 45% occurs from iceberg calving and geothermal bottom melting. The average annual GrIS freshwater flux equals 2·1 ± 0·2 mm w.eq. y-1 in eustatic sea level rise, indicating a cumulative flux of 28 mm w.eq. from 1995 through 2007. The average GrIS net loss contributes to a net sea level rise of 0·7 ± 0·2 mm w.eq. y-1, and a cumulative net increase of 10 mm w.eq.

ResearchBlogging.org
Mernild, S., Liston, G., Hiemstra, C., Steffen, K., Hanna, E., & Christensen, J. (2009). Greenland Ice Sheet surface mass-balance modelling and freshwater flux for 2007, and in a 1995-2007 perspective Hydrological Processes DOI: 10.1002/hyp.7354

[EcoDebate, 15/06/2009, com informações de Jenn Wagaman, University of Alaska Fairbanks]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: