Arquivo mensal: julho 2009

Pesquisadores reafirmam a necessidade de garantir a produção sustentável e responsável de biocombustíveis

biocombustíveis

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Embora no Brasil qualquer questionamento aos biocombustíveis seja tratado como um crime lesa-pátria, nos EUA e na Europa o tema é consistentemente discutido e questionado.

Em tese, os biocombustíveis podem ser produzidos em grandes quantidades e com múltiplas vantagens, mas apenas se forem provenientes de matérias primas produzidas durante um processo com ciclo de vida de baixas emissões de gases de estufa, bem como sem concorrência com a produção alimentar mínima.

Continuar lendo

Estudo documenta contaminação transgênica no milho do México

milho transgênico - Imagem: Greenpeace
Imagem: Greenpeace

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Um recente estudo [Dispersal of Transgenes through Maize Seed Systems in Mexico], publicado na PLos ONE , documentou os resultados de um extenso levantamento da contaminação transgênica no milho do México. O estudo, utilizou testes de proteína recombinante Cry1Ab (Bt) e EPSPS (Roundup). O estudo constatou contaminação transgênica em 3,1% e 1,8% das amostras, respectivamente, a partir de amostras colhidas em 2001, 2002 e 2004.

Continuar lendo

Pesquisa sugere a associação do inseticida hexaclorociclohexano à doença de Parkinson

Imagem: UC Regents / UCLA
Imagem: UC Regents / UCLA

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Um novo estudo [Elevated Serum Pesticide Levels and Risk of Parkinson Disease], realizado por pesquisadores do University of Texas Southwestern Medical Center, sugere que um grupo de pessoas com doença de Parkinson possue mais elevados níveis sanguíneos do inseticida ß-hexaclorociclohexano (ß-HCH) do que pessoas saudáveis.

Continuar lendo

EUA proíbem a pesca comercial do krill

Krill, foto da NOAA
Krill, foto da NOAA

[Por Henrique Cortez, do Ecodebate] O National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) publicou, ontem (13/07), uma norma proibindo a pesca comercial do krill na zona econômica exclusiva das costas dos estados da Califórnia, Oregon e Washington. A norma, que entra em vigor no dia 12/08/2009, foi publicada para preservar a espécie, de fundamental importância na cadeia alimentar marinha.

Os três estados na costa oeste dos EUA já haviam proibido a pesca na faixa de 3 milhas da costa mas, com a norma da NOAA, a proibição passa a valer para uma faixa de 200 milhas.

Continuar lendo

Os reais ‘custos’ de manter o aquecimento global médio em no máximo 2ºC, por Henrique Cortez

A imagem ilustra uma das consequências da elevação do nível do mar, na qual a região do Delta do Mississippi sofreria com o alagamento de uma área de 13.500 Km2, o que seria equivalente a 10% da área do estado da Louisiana. Por Blum and H. Roberts
A imagem ilustra uma das consequências da elevação do nível do mar, na qual a região do Delta do Mississippi sofreria com o alagamento de uma área de 13.500 Km2, o que seria equivalente a 10% da área do estado da Louisiana. Por Blum and H. Roberts

[EcoDebate] Na reunião realizada, recentemente, em L’Áquila, as 17 maiores economias decidiram empreender esforços para manter o aquecimento global médio em no máximo 2ºC, tido como o limite máximo aceitável. Pode até parecer um avanço em relação às resistências anteriores, mas deve ser visto com cuidado, principalmente porque este limite também significa severos impactos sociais e ambientais.

Na prática, o ‘consenso’ reconhece o que a comunidade científica já destaca como irreversível. O CO2 acumulado na atmosfera, somado às emissões previstas até 2020, já serão suficientes para conduzir o planeta para um aquecimento de 2ºC. Os maiores emissores, portanto, apenas reconheceram o óbvio.

Continuar lendo

Nitratos podem ser acionadores ambientais de Alzheimer, diabetes e doença de Parkinson

cérebro

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Um novo estudo [Epidemilogical Trends Strongly Suggest Exposures as Etiologic Agents in the Pathogenesis of Sporadic Alzheimer’s Disease, Diabetes Mellitus, and Non-Alcoholic Steatohepatitis] publicado no Journal of Alzheimer’s Disease, realizado por pesquisadores do Rhode Island Hospital, sugere uma ligação entre o aumento substancial dos níveis de nitratos presentes em nosso meio ambiente e o aumento das mortes por doenças insulino-resistentes, incluindo doença de Alzheimer, a diabetes mellitus, a doença de Parkinson e a Esteatose Hepática Não-Alcoólica.

Continuar lendo

Pesquisa associa os ftalatos aos nascimentos prematuros

Embalagens produzidas com ftalatos
Embalagens produzidas com ftalatos

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Um novo estudo [Urinary phthalate metabolites in relation to preterm birth in Mexico City] sugere que mulheres grávidas, expostas a um grupo de contaminantes ambientais comuns chamados ftalatos, estão mais propensas aos partos prematuros, o que pode ser um dos fatores do aumento de casos nos EUA. Os ftalatos estão presentes em muitos produtos industriais e produtos de consumo quotidiano, incluindo itens de cuidados pessoais.

Continuar lendo

Relatório alerta para o balanceamento dos biocombustíveis e dos recursos hídricos

custos do etanol de milho

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Pesquisadores da Rice University afirmam que os EUA devem ter cuidado que a nova ênfase no desenvolvimento dos biocombustíveis como uma alternativa ao petróleo importado e levar em consideração os potenciais prejuízos para os recursos hídricos da nação.

Continuar lendo

Obesidade pode ser tão prejudicial à saúde quanto o tabagismo

Obesidade moderada pode reduzir a expectativa de vida em três anos
Obesidade moderada pode reduzir a expectativa de vida em três anos

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] A obesidade grave reduz a expectativa de vida de uma pessoa em até 10 anos, efeito prejudicial à saúde comparável ao efeito do tabagismo. Esta é a conclusão de um estudo [Body-mass index and cause-specific mortality in 900 000 adults: collaborative analyses of 57 prospective studies] realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford, Clinical Trial Service Unit e publicada na revista The Lancet.

Continuar lendo

Carros elétricos abastecidos por bioeletricidade são mais eficientes do que os abastecidos com etanol

Greater Transportation Energy and GHG Offsets from Bioelectricity Than Ethanol

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] No Brasil podemos até defender o etanol de cana-de-açúcar como o melhor combustível possível, mas, nos EUA, cujo etanol é majoritariamente produzido a partir do milho, a resposta pode não ser tão simples assim. Os agrocombustíveis são, de fato, uma alternativa aos combustíveis de origem fóssil, mas o crescimento da área plantada, para a sua crescente produção compete com as culturas alimentares e com as áreas florestais.

Diante dos impactos e riscos permanece a questão de como tornar mais eficiente a relação de consumo (quilômetros por hectare) a partir da biomassa. A questão foi discutida em um estudo [Greater Transportation Energy and GHG Offsets from Bioelectricity Than Ethanol] publicado na edição online da revista Science.

Continuar lendo