Obesidade infantil pode aumentar risco de doenças cardiovasculares na fase adulta, por Henrique Cortez

obesidade infantil

[EcoDebate] Uma criança obesa , já aos 7 anos de idade, pode ter um significativo aumento do risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral na fase adulta, mesmo na ausência de outros fatores de risco cardiovasculares, como hipertensão arterial. É o conclui um novo estudo [Obesity Without Established Co-morbidities of the Metabolic Syndrome is Associated With a Pro-inflammatory and Pro-thrombotic State Even Before the Onset of Puberty in Children] publicado na edição online da revista Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (JCEM), editada pela Endocrine Society .

“Este novo estudo demonstra que as consequências não saudáveis de gordura corporal em excesso começa muito cedo”, disse Nelly Mauras, MD, da Nemours Children’s Clinic, em Jacksonville, Flórida e autor sênior do estudo. “Nosso estudo mostra que a obesidade está ligada a determinadas anomalias no sangue que podem predispor os indivíduos a desenvolver doenças cardiovasculares no início da idade adulta.

Estes resultados sugerem que necessitam de intervenções mais agressivas para o controle de peso em crianças obesas, mesmo aquelas que não têm as co-morbidades da síndrome metabólica “.

A síndrome metabólica é um aglomerado de fatores de risco que aumentam o risco de desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes. Ela está sendo cada vez mais diagnosticada em crianças e, com o excesso de peso, ela se torna um problema maior.

Embora exista um grande debate quanto à sua definição exata, para receber um diagnóstico de síndrome metabólica, o paciente deve ter pelo menos três das seguintes características: aumento da circunferência da cintura (gordura abdominal), baixo HDL ( “bom”) colesterol, triglicérides alto (gordura no sangue), pressão arterial e glicemia elevada (açúcar no sangue).

Mauras e seus colegas queriam saber se a obesidade pode aumentar o risco de doença cardiovascular antes do início da síndrome metabólica. Para ser elegível para participar do estudo, as crianças e os adolescentes tinham de ter níveis normais de açúcar no sangue em jejum, pressão arterial normal e colesterol e triglicérides normais. Controles adicionais também exigia não poderiam ter um parente com diabetes tipo 2, colesterol alto, pressão alta ou obesidade. O último grupo revelou-se muito difícil de encontrar.

Todos os participantes do estudo foram submetidos a testes de sangue para marcadores conhecidos para o desenvolvimento de doença cardiovascular.

Estes incluíam níveis elevados de proteína C-reativa (PCR), um marcador de inflamação e fibrinogênio anormalmente alta, um fator de coagulação, entre outros. As crianças obesas tinham um indicador 10 vezes maior de PCR e fibrinogênio significativamente maior, em comparação com crianças magras da idade e sexo. Estas alterações ocorreram em crianças obesas com até 7 anos de idade, muito antes do início da puberdade.

“Os médicos muitas vezes não tratam a obesidade em crianças a não ser que tenham outras características da síndrome metabólica,” Mauras afirma. “Essa prática deve ser reconsiderada. Mais estudos são necessários para oferecer mais detalhes sobre os efeitos das intervenções terapêuticas para essas crianças.

Obesity Without Established Co-morbidities of the Metabolic Syndrome is Associated With a Pro-inflammatory and Pro-thrombotic State Even Before the Onset of Puberty in Children

Nelly Mauras, Charles DelGiorno, Craig Kollman, Keisha Bird, Melissa Morgan, Shawn Sweeten, Prabhakaran Balagopal, and Ligeia Damaso
J. Clin. Endocrinol. Metab., Rapid Electronic Publication first published on Jan 8, 2010 as doi:doi:10.1210/jc.2009-1887

Abstract

Background: Metabolic syndrome (MS)-related comorbidities in obesity, such as hypertension, dyslipidemia, and glucose intolerance, are increasingly recognized in children, predisposing them to early cardiovascular disease.

Objective: The objective of the study was to investigate whether markers of inflammation and prothrombosis are abnormal in obese children without established MS comorbidities across puberty, as compared with lean, age-matched controls.

Subjects and Methods: Obese children (body mass index >95%) with normal fasting glucose, blood pressure, cholesterol and triglycerides were recruited; lean controls (body mass index 10–75%) had no first-degree relatives with MS. High-sensitivity C-reactive protein (hsCRP), IL-6, plasminogen activator inhibitor 1, and fibrinogen concentrations were measured. Body composition was assessed by waist circumference and dual-energy x-ray absorptiometry.

Results: Of 623 children screened, 203 enrolled (106 males, 97 females), aged 7–18 yr, 115 obese, 88 lean (balanced for age and gender), 99 prepubertal, and 104 pubertal. Many screen failures were due to silent comorbidities. Obese subjects with insulin resistance but without MS comorbidities had about 10 times higher hsCRP concentrations than controls and higher fibrinogen, IL-6, and plasminogen activator inhibitor-1 (P < 0.01 all). Differences were significant, even in the prepubertal cohort. hsCRP and fibrinogen correlated with waist circumference (r = 0.73 and 0.40, respectively) and percent fat mass (r = 0.76 and 0.47) (P < 0.0001).

Conclusion: Childhood obesity per se is associated with a proinflammatory and prothrombotic state before other comorbidities of the MS are present and even before the onset of puberty. Whether biomarkers like hsCRP and fibrinogen are useful in assessing cardiovascular risk and whether these abnormalities are reversible with earlier therapeutic interventions in very young obese children requires further study.

Por Henrique Cortez, do EcoDebate, 28/01/2020, com informações de Aaron Lohr, The Endocrine Society

2 Responses to Obesidade infantil pode aumentar risco de doenças cardiovasculares na fase adulta, por Henrique Cortez

  1. Pingback: Obesidade infantil pode aumentar risco de doenças cardiovasculares na fase adulta, por Henrique Cortez | Portal EcoDebate

  2. Pingback: AVC, Acidente Vascular Cerebral não é só em gente grande | leleledemae

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: