Estrogênios ambientais em baixas doses alteram a química cerebral

[Por Henrique Cortez, do EcoDebate] Pela primeira vez, cientistas comprovaram que níveis extremamente baixos de alguns tipos de estrogênios ambientais podem perturbar células cerebrais especializadas na sua capacidade para regular a química cerebral.

A pesquisa [Differential Regulation of Dopamine Transporter Function and Location by Low Concentrations of Environmental Estrogens and 17ß-estradiol] demonstrou que os estrogênios ambientais mudaram a forma como células cerebrais liberaram e reabsorveram a dopamina, um importante mensageiro químico que regula movimento e prazer.

Em alguns casos, as respostas foram mais fortes quando estrogênios naturais foram misturadas com um estrogênio natural, o mais provável de ocorrer em pessoas e animais. Estas alterações podem contribuir maior conhecimento de doenças do sistema nervoso, como Parkinson e esquizofrenia, que são causadas por respostas anormais dopamina.

Xenoestrogênios ou estrogênios ambientais, imitam compostos naturais e são encontrados em quase todo o meio ambiente. Eles podem contaminar os seres humanos, animais, plantas, solo, água e ar.

Estes contaminantes ambientais atuam de maneira semelhante a – mas não exatamente como – hormônios naturais, tais como estrógeno. A exposição a estas substâncias químicas, particularmente em níveis muito baixos, pode provocar impactos biológicos.

Estas substâncias estão presentes nos plásticos, PCB, pesticidas e herbicidas, produtos farmacêuticos e produtos de higiene pessoal.

A dopamina ajuda o cérebro e as células nervosas a se comunicarem. As suas ações afetam coração / circulação (pressão arterial), hormônios (recompensa / prazer) e funções nervosas (movimento). A dopamina é considerada um neurotransmissor – um mensageiro que transporta sinais de uma célula nervosa para outra – e um hormônio – uma molécula que envia mensagens para o controle hormonal sistema.

Uma série de doenças, incluindo Parkinson, esquizofrenia e déficit atenção, são atribuídos a problemas com os níveis de dopamina no cérebro.

O artigo “Differential Regulation of Dopamine Transporter Function and Location by Low Concentrations of Environmental Estrogens and 17ß-estradiol“, publicado na Environmental Health Perspectives doi:10.1289/ehp.0800026, apenas está disponível para acesso integral no formato PDF. Para acessar o artigo clique aqui.

[EcoDebate, 10/03/2009]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: